ENTREVISTA / ELIANA AUN


Matéria do Monteiro Informa - Informativo da Escola Monteiro Lobato- nº 128 – JAN/FEV 2016

 

Educar, missão desafiadora

Quem estuda em uma escola associada da Unesco é preparado para desenvolver as competências necessárias para ser um cidadão global do século 21. Esse é um dos pontos abordados por Eliana Baptista Pereira Aun, coordenadora das Escolas Associadas da UNESCO – Regional São Paulo, nesta entrevista ao Monteiro Informa.

 

Qual o diferencial de uma escola que integra a Rede PEA-Unesco?

Eliana Aun – Ser membro integrante das Escolas Associadas da Unesco é comprometer-se com uma grande Rede determinada a criar , promover e praticar uma educação de qualidade na busca da paz, da liberdade, da justiça e do desenvolvimento humano sustentável. A Rede PEA-Unesco é reconhecida por agrupar instituições educativas geradoras de aprendizagens cognitivas de alta qualidade e de sensibilidade social, que apoiam suas ações educacionais no respeito aos valores universais e na reflexão crítica embasada no espírito de cooperação internacional.

 

Qual a importância nos dias atuais dos alunos receberem uma formação dentro dos valores da Rede?

Ser educado dentro dos princípios, programas e propósitos das Escolas Associadas da Unesco equivale a ter oportunidade de desenvolver as competências indispensáveis a um cidadão global do século 21 e seus desafios, tais como:

Conhecimento e compreensão de questões e tendências globais e específicas;
Capacidades cognitivas indispensáveis: reflexão, resolução de problemas, tomada de decisões críticas, criativas e inovadoras;
Capacidades comportamentais necessárias para se lançar e participar ativamente – empreendedorismo;
Capacidades não cognitivas: empatia, abertura para experiências e a outros pontos de vista, desenvoltura nas relações interpessoais e na comunicação, aptidão para trabalhar em rede.

 

Como a família pode ajudar na formação dos filhos e na implantação de uma cultura de paz?

 

Desenvolver uma cultura de paz através da educação é uma missão difícil e desafiadora. Requer uma harmonia de propósitos entre pais e educadores, para que, com coragem, perseverança e abertura entre as partes se consiga, em conjunto, conduzir com êxito a formação das crianças e jovens. As famílias devem colaborar acompanhando cuidadosamente os estudos de seus filhos, mas não somente isso, elas devem, sobretudo, cuidar no dia a dia, do desenvolvimento de seu filho nas habilidades socioemocionais, buscando manter em seu lar um clima de reciprocidade e paz, ajudando-os a construir relações saudáveis, a expor suas ideias e não impor suas opiniões, a ter capacidade de colocar-se no lugar do outro, a ser proativo, a aprender a conviver com perdas e frustrações, a ser generoso...