Dicas


 

'Excesso de atividades pode causar depressão', diz psiquiatra sobre crianças

Fábio Barbirato dá dicas para os pais não extrapolarem na rotina dos filhos
04/02/2014 às 09h14 – Programa Mais Você – Rede globo

excesso atividades 01
Cuidado para não sobrecarregar as crianças com muitas atividades
(Foto: Divulgação / Banco de Imagens)

 


Inglês, natação, aula de reforço, psicóloga, balé, futebol... Muitas vezes, o excesso de atividades pode estressar e sobrecarregar as crianças. O psiquiatra infanto-juvenil Fábio Barbirato alerta para os riscos da falta de lazer e tempo para ser criança. "Eles acabam sendo muito pressionados e essa pressão faz com que os pequenos se cobrem muito. Isso mexe com a autoconfiança, a famosa autoestima, levando à sintomas de ansiedade e depressão", explicou. E segundo a estimativa dos especialistas, isso já acontece com 10% da população mundial entre 6 e 16 anos.

Confira outras dicas do especialista:

 


- Crianças precisam se relacionar com outras crianças, mas tudo tem seu tempo;
- A criança tem que brincar até os seis ou sete anos. A partir desta idade, pode-se incluir uma ou duas atividades a mais em suas rotinas; No caso dos adolescentes, um pouco mais de atividades é bem-vinda;
- Criança não tem tanta capacidade de absorver: o cérebro não é resiliente;
- Pressão favorece a cobrança e mexe com a autoconfiança;

 


- Atividades demais na rotina da criança leva à ansiedade e depressão;
- Como identificar que algo está errado? Quando a criança não quer brincar no fim de semana;
- Estipule o tempo para o computador ou videogame: duas horas por dia;
- Saiba que se relacionar com o outro é saber lidar com situações;
- O ideal é brincar sem competitividade;

 


- Atividades e games estimulam a competição, a ganhar, mas a brincadeira não tem que ter vencedor;
- Atividade física ajuda e integra; e
- A criança precisa ter espaço para brincar.

videoConfira o video da matéria no Mais Você